Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Notícias > HGeC faz segunda cirurgia de captação de órgãos para transplante de sua história
Início do conteúdo da página

HGeC faz segunda cirurgia de captação de órgãos para transplante de sua história

Publicado: Terça, 28 de Junho de 2022, 11h19 | Última atualização em Quarta, 29 de Junho de 2022, 15h52 | Acessos: 297

Curitiba (PR) - O Hospital Geral de Curitiba realizou pela segunda vez, desde a sua criação, uma cirurgia para captação de órgãos para transplante. A preparação para o complexo procedimento foi feita por profissionais especializados do HGeC e a operação em si foi conduzida pela equipe de captação do Hospital do Rocio.

O fato da cirurgia ter ocorrido no HGeC demonstra que o Hospital está preparado para essas intervenções e que pode contribuir efetivamente para o processo de doação de órgãos. A primeira cirurgia desse tipo no HGeC foi realizada em março de 2019. De lá para cá, a pandemia da Covid e as obras no Hospital interferiram de alguma forma nos atendimentos e na capacidade de leitos, mas ainda assim o corpo médico militar segue trabalhando com extrema competência e qualidade.

A cirurgia foi realizada de maneira ágil devido à atuação da equipe do HGeC. A Capitão Arana e o Aspirante a Oficial Andretta fizeram os testes clínicos na paciente. Eles são habilitados pela Central Estadual de Transplantes para a realização do Protocolo de Morte Encefálica. O Tenente Rebolho conduziu o exame de arteriografia cerebral, confirmando o diagnóstico clínico. Já o Major Mazzini fez todo o acompanhamento anestésico durante o procedimento de captação.

O 2º Tenente Matos coordenou as ações de enfermagem e realizou a provisão de todo o material e pessoal necessários ao procedimento. A 3º Sargento Lucélia, técnica de enfermagem, esteve ao lado dos cirurgiões, auxiliando e circulando a sala cirúrgica durante toda a operação, contribuindo para o sucesso da captação.

O procedimento durou cerca de 3 horas e foi realizado pela equipe médica do Hospital do Rocio, que contou com o médico Henrique César Higa e a médica Maria Lucia de Sousa, civis capacitados para captação de órgãos. O fígado foi transportado pela Central Estadual de Transplante para o próprio Hospital do Rocio, onde foi transplantado imediatamente a um paciente que estava à espera. Um dos rins ficou no Paraná e outro foi para Goiás.

Cabe ressaltar que o Paraná lidera o ranking nacional de captação de órgãos para transplante, sendo referência no Brasil, com uma média três vezes maior que a do restante do país. Também é fundamental destacar a consciência dos familiares no momento de autorizar a doação de órgãos, como foi o caso dessa paciente que sofreu morte encefálica por acidente vascular encefálico hemorrágico. Mesmo no momento difícil da perda de um ente querido, eles entenderam a importância em ajudar outras pessoas doando vida.

registrado em:
Fim do conteúdo da página